Image Map

15/08/2016

Amar assim parece que dói demais...




Tudo está realmente tão pequeno e frágil ou sou eu que não consigo mais ver importância nas coisas? Acho que você irá dizer que é a segunda opção, e eu responderei que o grande culpado disso é você e bem ou mal, você também sabe que é assim. Deixou um rastro na minha vida e me fez ter insegurança de amar, porque agora tenho medo do que vem depois do amor que não é mais correspondido e assim acabo me privando de amar e ser recíproco.

Minhas esperanças foram ficando pelo caminho na medida em que você pisoteou o que eu sentia, usou e abusou, extraiu o máximo que pode e depois me abandonou. A indefesa garotinha aqui não sabia que a maldade também brotava naquelas pessoas que nós amamos, até porque quem estava apaixonada por você era eu e por mim ninguém estava apaixonado, muito menos você. Se agora eu olho para o vago e não derramo uma lágrima não é porque não quero chorar, até que eu quero e muito! Mas entrei em um estado em que eu choro por dentro, inundo meus sentimentos, e por fora fico serena, tranquila e dando a entender que eu já esqueci. Quem foi embora foi você, não as minhas lembranças, não o que eu sentia. Que isso fique claro a partir de agora.

Medo... eu tenho tanto medo de não poder sentir de novo, com a mesma intensidade e insanidade de quem se permite amar como se fosse a primeira e única vez. Parece que sentir amor por quem não sabe muito bem do que se trata esse sentimento é um tanto perigoso, principalmente se você for daquela pessoa que acredita que um gesto de carinho pode romper uma grande e forte barreira que existe dentro do outro. Entre você e o coração dele. Bem ali, intermediando os dois. E quando você dá de encontro com ela e vê que as feridas dessa batida ardem muito, você recua... eu recuei, mas não adiantou... eu não me curei.

Hoje saber que você já mudou todos os seus gostos e que eu já não sei mais das suas preferências apenas intensifica a certeza que eu tenho de que tudo ficou para trás, lá atrás, bem distante. As pessoas que eu e você fomos, atualmente, não passam de dois personagens inanimados que as pessoas mais próximas contam a história deles por aí. Eu mesmo às vezes sento na calçada e escuto eles falando de nós, e sabe por quê? Para ver se assim eu me esquento um pouco, eu aqueço um pouco aqui dentro de mim e posso nem que seja por um segundo manter firme a ideia de que tudo isso realmente um dia existiu e que me fez feliz.

“ Você não deseja amar assim algum dia Aninha?”

Direciona até mim a pergunta mais dolorida de toda a minha vida, dona Clara, que sabia que eu era a menina da história que ela conta me olha serena e me faz essa pergunta. Os que estão ao redor e não me conhecem, ficam curiosos pela minha resposta.

“ Acho que não dona Clara...”

Desconverso e abaixo a cabeça.

“ Sabe, parece que dói demais!”

Fui sincera ao responder. Deixei que a menina que eu fui respondesse a essa pergunta, porque não haveria pessoa melhor no mundo para responder do que eu mesma, a menina da história que ela contava.

“ Mas vale tudo pelo amor, menina.”

Insiste na afirmação e as pessoas ao redor olham ainda mais curiosas, naquele momento elas já haviam notado que era eu a protagonista daquela história que parecia mais um lenda contada pelos outros do que algo realmente verídico.

“Só não vale ficar sofrendo, trancada dentro de si, tudo isso pela memória de um amor que hoje não passa de história.”

Parecia um tapa na minha cara a intensidade que aquelas palavras me acertaram.

“É dona Clara, pior que é verdade. Mas a senhora me diga então: como faz pro coração entender que não tem mais jeito de sofrer?”

Ela, abaixou a cabeça e acenou em negativo e eu apenas me levantei dali, sem chorar(por fora) mas por dentro a mesma der voltava, e dentro de mim tudo era água, tudo pedia socorro, e meu pobre coração que já não sabia mais o que fazer decidiu que nem iria mais doer. E foi ali que eu parei de sofrer por uma coisa que já não dava mais. Eu não sei como vai ser daqui para frente, mas eu sei que me isolar não vai resolver.

Eu o amei demais... o que eu posso fazer?

Deixem seus comentários.

Fiquem com Deus e até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por ler o post, espero que tenha gostado. Deixe o link do seu blog para retribuir a visita.Venha mais vezes por aqui, vai ser um prazer ter você como leitor(a).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Sonhos na bolsa © 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Thayná Soares.
Desenvolvido por:
imagem-logo